Projeto participante do concurso “Trans Siberian Pit Stops”, realizado em 2016 pela Bee Breeders Concursos de Arquitetura, em parceria com a arquiteta Nina Morelli (www.ninamorelli.com)

O projeto acompanha a ferrovia Transiberiana ao longo de toda a sua extensão, destacando paisagens exuberantes e de difícil acesso durante o percurso. O objetivo do projeto é iluminar os pontos mais interessantes desse trajeto, começando pelo Lago Baikal, local de implantação. 

Pit Stop na Ferrovia Transiberiana

 

O abrigo dá atenção especial às condições climáticas da região, onde a temperatura média durante o ano pode variar de 15˚C até -21˚C. Desta forma, foram projetadas duas fachadas de vidro duplo que garantem iluminação e insolação direta, proporcionando isolamento térmico sem o perigo da condensação.

 

As outras duas laterais são compostas por paredes duplas pré-fabricadas de madeira, com isolamento térmico entre camadas. 

O pit stop está equipado de uma cafeteria self-service, lareira, banheiro, apoio turístico e um grande estar para repouso e leitura. 

Do lado externo, a parede é feita de cedro carbonizado Shou Sugi Ban, processo sustentável que faz com que a madeira fique anti-inflamável.

 

O interior é feito de madeira clara tratada, criando um ambiente mais acolhedor e confortável. Três bay-windows foram incluídas nas paredes de madeira, ampliando o espaço interno e criando janelas-bancos que unem o interior ao exterior. 

planta térreo

1. depósito

2. banheiros

3. cozinha/café 

4. estande de souvenirs

5. equipe de apoio

6. lareira

corte A

corte B

corte E

corte D

corte C

4

3

2

1

10m

escala 1:75m

5